Open/Close Menu A Alacer Biomédica é uma empresa fabricante de equipamentos e acessórios para Manometria esofágica e anorretal, pHmetria, impedanciopHmetria, hidrogênio expirado e urodinâmica. Oferecemos suporte técnico e também treinamentos especializados para os clientes.

Manometria de Alta Resolução (MAR), melhor definida como topografia pressórica de alta resolução é uma tecnologia que modificou vários paradigmas da motilidade digestiva. Com o surgimento dessa tecnologia, tornou-se necessária a criaçãode uma classificação para os distúrbios motores do esôfago, desenvolvida incialmente pelo grupo da Northwestern University, que recebeu o nome de Classificação de Chicago e vem sendo modificada ao longo dos últimos sete anos. Essa classificação permitiu melhor avaliação da função esofagiana, bem como contribuiu para a criação de parâmetros que possuam valor prognóstico.

A MAR tem se mostrado superior na avaliação dos distúrbios motores do esôfago, em relação a manometria convencional. Estudo recente comparando a concordância dos resultados obtidos pela MAR e pela manometria convencional entre avaliadores experientes e pouco experientes revelou que, nos dois grupos de examinadores, a concordância e acurácia para os diagnósticos motores do esôfago foram significativamente maiores para análise pela MAR em relação à manometria convencional. Os autores concluíram que a MAR é o procedimento preferido para avaliação da motilidade esofagiana. Adicionando-se a isso, a MAR permite a localização mais fácil dos pontos anatômicos como o esfíncter esofagiano inferior (EEI) e superior (EES), além de   permitir a visualização simultânea de todos os seguimentos envolvidos na deglutição. Outro aspecto positivo da MAR é o tempo reduzido do exame e ausência da necessidade de tração da sonda a cada centímetro, proporcionando maior conforto ao paciente

No entanto, as indicações tanto para MAR, quanto para convencional são as mesmas. Entre as indicações, destacam-se: investigação diagnóstica das disfagias, após exclusão de obstrução orgânica do esôfago; adequado posicionamento de dispositivos intraluminais (cateter de pHmetria); pré-operatório de Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE) e avalição da disfagia após tratamento cirúrgico ou tratamento da acalasia. É importante ressaltar que a MAR não faz diagnóstico de DRGE, porém pode indicar situações que predispõem o refluxo, como hipotonia do esfíncter esofagiano inferior.

O conjunto de dados utilizado para desenvolver a Classificação de Chicago da motilidade esofágica foi obtido utilizando um protocolo manométrico e analítico consistente. Foi utilizado um conjunto com 36 sensores espaçados em intervalos de 1 cm. O sistema da MAR consiste em uma sonda de manometria conectada a uma série de transdutores de pressão que fazem interface de sinais que são captados, digitalizados, transformados em gráficos e armazenados por um software.
A Classificação de Chicago categoriza os distúrbios motores do esôfago com a utilização da MAR. Conforme a classificação, após 10 deglutições de 5 mL de água com paciente na posição supina, o estudo manométrico do paciente pode ser classificado como normal ou incluído em algum dos três distúrbios a seguir:

1) Distúrbios da Junção Esofagogástrica (JEG):

a. Acalasia (I, II, III);
b. Obstrução ao fluxo de saída da JEG.

2) Distúrbios maiores da peristalse:

a. Ausência de contratilidade;
b. Espasmo esofagiano distal;
c. Esôfago hipercontrátil (Britadeira).

3) Distúrbios menores da peristalse:

a. Motilidade esofágica ineficaz;
b. Peristalse fragmentada.

A MAR é o método diagnóstico mais acurado para estudo da motilidade do esôfago. Essa tecnologia representa real avanço na avaliação clínica dos pacientes com distúrbios motores do esôfago, já que a classificação de Chicago permitiu que fossem definidos três subtipos de acalasia que são clinicamente distintos em termos de responsividade à intervenção terapêutica. Trata-se de um exame de fácil realização e que proporciona maior conforto para o paciente, uma vez que todas as etapas são estudadas simultaneamente, sem a necessidade de mobilização do cateter. Isso torna a MAR um exame de rápida duração e, portanto, de melhor tolerabilidade.

Referências Bibliográficas:
• DOMINGUES, Gerson; FITTIPALDI, Ricardo; MORAES FILHO, Joaquim Prado P.. Manometria Esofágica de Alta Resolução. In: ZATERKA, Schlioma; EISIG, Jaime Natan (Ed.). Tratado de Gastroenterologia: Da Graduação à Pós-Graduação. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2016. Cap. 2016. p. 177-187.
• LEMME, Eponina Maria de Oliveira; ALVARIZ, Angela Cerqueira. Manometria Esofágica. In: ZATERKA, Schlioma; EISIG, Jaime Natan (Ed.). Tratado de Gastroenterologia: Da Graduação à Pós-Graduação. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2016. Cap. 12. p. 147-157.
• Kahrilas PJ, Ghosh SK, Pandolfino JE. Esophageal Motility Disorders in Terms of Pressure Topography: The Chicago Classification. Journal of clinical gastroenterology. 2008;42(5):627-635. doi:10.1097/MCG.0b013e31815ea291.
• Roman S, Gyawali CP, Xiao Y, Pandolfino JE, Kahrilas PJ. The Chicago Classification of Motility Disorders: an Update. Gastrointestinal endoscopy clinics of North America. 2014;24(4):545-561. doi:10.1016/j.giec.2014.07.001.

Sobre a autora deste post: Acadêmica da Faculdade Ciências Médicas de MG. Diretora da Liga Acadêmica de Gastroenterologia - LAGE - da Faculdade Ciências Médicas de MG - Estagiária do Centro de Motilidade do Aparelho Digestivo - CEMAD - contato: beafernandes91@gmail.com

Write a comment:

You must be logged in to post a comment.